Textos


Nenise, ao vasculhar a gaveta do armário e se deparar com a cópia da pesquisa que ali repousava, há exatos dez anos, disse:
- Foram trinta dias de intensa dedicação e de árduo trabalho. E na hora da verdade, o sonho ruído.
- O tal concurso? – perguntou o esposo.
- Ele mesmo. Ruído o sonho de ser a vencedora, e também ruído o sonho da moradia própria. A grana do prêmio daria para comprar uma casa e tanto.
- Desligue a luz para que possamos dormir. – sugeriu o esposo.

Não distante dali, o senhor Lord, que conversava animado com a família, dizia que estavam a um passo de se mudarem para Bolas.
- É outro mundo, irão conhecer! – afirmou ele com empolgação.
- E o que está faltando, papai? – perguntou a filha.
- Apenas uma canetada, minha filha. Apenas uma canetada!
- É verdade que ira dirigir a Gorag?
- É verdade sim.
A esposa, que participava eufórica da conversa, se manifestou:
- E o proprietário do apartamento – uma cobertura que alugaria – já entrou em contato com você?
- Ficou de telefonar ainda esta noite.
- Uma cobertura na Avenida Rian, filha! – disse ela.
- Que chique, mamãe!
 
O presidente da Evelen Trelen, senhor Evelen, de setenta anos de idade, ao deixar o refeitório da empresa, caminhando a passos pensativos, ao atingir a antessala da presidência, solicitou à secretaria que convocasse imediatamente o senhor Vanilo para que comparecesse ao seu gabinete. O senhor Vanilo se apresentando, o senhor Trelen, após mandá-lo sentar, indagou-lhe que conversa fora aquela que havia escutado no refeitório.  
- Que conversa, senhor?
- Ao fazer o dejejum em nosso refeitório, como esporadicamente venho fazendo, escutei de dois moços, os quais certamente não me reconheceram, que houve fraude no concurso promovido pela Trelen, fato ocorrido há dez anos, em comemoração aos vinte anos da empresa. 
- Estou lembrado, senhor.
- E o que o senhor sabe a respeito? 
- É uma longa história, senhor Evelen.
- Estou interessado em ouvir uma curta história, senhor Vanilo.
O senhor Vanilo, após meditar, disse que a conversa certamente deveria ter vindo à tona, uma vez que se cogitou a possibilidade de o senhor Lord, o amargo Sr. Lord, ex-empregado daquela empresa, ir gerenciar a Gorag. Quanto ao mencionado fato, era ele, na época, subalterno desse senhor,e, se caso se manifestasse a respeito da deslealdade que fora praticada, fatalmente seria perseguido. 
- Já havíamos definido, mediante pesquisa, quem seria a vencedora do concurso. No entanto, o senhor Lord apresentou a quinta colocada como vencedora. – confessou o senhor Vanilo.
- E por que assim o fez? – indagou o senhor Evelen.
- Direi o que escutei, senhor. Era essa participante sua amante.
O senhor Evelen, ao ouvir a explicação, balançou a cabeça.
- E quem foram os responsáveis pela avaliação dos trabalhos? - perguntou.
- A senhora Terma, o senhor Droli e eu.
- Ambos ainda trabalham conosco?
- Trabalham sim.
O Sr. Evelen Trelen lhe pediu para que os trouxesse à sua sala.
A reunião se realizou com a presença dos convocados. O senhor Evelen, após narrar o fato, disse que faria uma retratação no site da empresa.
- Quero isso postado ainda hoje. – ordenou.
O senhor Vanilo apresentou as cinco pesquisas classificadas.
- Quem foi o vencedor? - perguntou o Sr. Evelen.
- A senhora Nenise... 
- Pagaremos a ela o prêmio, cujos valores serão atualizados na data de hoje. Quero também que seja postada a narrativa do meu conhecimento da fraude. Omitido, no entanto, o suposto motivo que levou o senhor Lord a assim se comportar.
 
Às dezesseis horas, uma amiga da senhora Nenise lhe sugeriu, através do telefone, que desse uma olhada no site da Evelen Trelen.
- Meu Deus! – exclamou, saltitando de alegria e correndo de encontro ao telefone para comunicar o fato ao esposo.

Não distante dali, um telefonema inverso ao do exposto havia arrasado o senhor Lord.
- O que houve? – perguntou a sua esposa assustada ao vê-lo desfigurado.
- ...!
- Não irá gerenciar a Gorag?
- Não...
- Por que Lord?!
 
 

 
Eduardo Damasio
Enviado por Eduardo Damasio em 03/06/2017
Alterado em 22/06/2017
Copyright © 2017. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.


Comentários